Croácia - Inglaterra: antecipar o futuro sem esquecer o passado

 11 de julho de 2018

Da última vez que Inglaterra atingiu as meias finais do Mundial de futebol, só seis jogadores da atual seleção eram nascidos. E desses, três tinham poucos meses (ou dias) de vida. De Junho de 1990 para agora, o berço do futebol atravessou uma fase negativa, reinventou-se, voltou à base, cresceu... e os resultados estão à vista:  campeão do Mundo sub-17 e sub-20campeão da Europa sub-19, meias finais do Europeu sub-21 e (até ver) meias finais do Mundial com a equipa A. 

 

 

O regresso a uma final da mais importante competição futebolística à escala planetária está, agora, à distância de um jogo. Gareth Southgate (que marcou presença como jogador em dois Mundiais) trabalhou nas camadas jovens inglesas com praticamente metade do atual elenco inglês e é o principal responsável pelo renascimento dos Three Lions. A conexão entre os vários escalões está bem visível na Rússia, com a presença de Boothroyd, treinador dos sub-21, na Rússia, ao lado de Southgate, numa das seleções com média etária mais baixa do Mundial - 26 anos. 

 

 

A geração considerada de ouro do futebol inglês, com nomes como Beckham, Lampard, Gerard, Terry ou Rooney já é passado. O presente e futuro do futebol inglês está agora assegurado e o objetivo antes deste Mundial era criar uma equipa competitiva para discutir o Europeu2020 e o Mundial 2022. Traídos pela qualidade da equipa, os ingleses arriscam a antecipar em dois anos os momentos de glória. Para conferir já, em Moscovo!

 

 

 

Se de um lado, está uma seleção que sonha em devolver Inglaterra aos títulos, depois do longínquo Mundial de 1966, do outro está a Croácia, país que participa em provas internacionais há pouco mais de 20 anos. E foi precisamente no Mundial de estreia, em 1998, que alcançou a única posição digna de registo: um terceiro lugar em França, numa geração que tinha nomes como Suker, Boban, Jarni, Boksic ou Prosinecki. Vinte anos depois, o país dos balcãs está perto de igualar (ou melhorar) a história, desta vez com outra geração de ouro, onde Modric, Rakitic, Perisic e Mandzukic são figuras de destaque.

 

 

De 1998 para cá, a Croácia apurou-se para três dos quatro mundiais seguintes (falhou o de 2010) mas ficou sempre abaixo das expetativas, nunca passando da primeira fase. Melhor, ainda assim, têm sido os Europeus, com as presenças nos oitavos de final em 2016 (derrota no prolongamento com Portugal) e nos quartos de final em 2008. Este pode mesmo ser o último Mundial da nova geração de ouro (Modric e Madzukic têm 32 anos e Rakitic 30) e porque sonhar não custa, a Croácia está a um jogo de alcançar a final mais desejada! Para trás, já ficaram Nigéria, Islândia, Argentina, Dinamarca e Rússia. Próxima missão: Inglaterra.

 

 

 

Marcado para o Luzhniki Stadium, em Moscovo (palco da final) este será o primeiro jogo entre as duas seleções em Mundiais.

Árbitro: Cüneyt Çakir (TUR)

CROÁCIA - Subasic; Corluka, Lovren, Vida e Strinic; Rakitic, Brozovic e Modric; Perisic, Mandzukic e Rebic.

INGLATERRA - Pickford; Walker, Stones e Maguire; Trippier, Henderson, Lingard, Alli e Young; Kane e Sterling.

 

AUTOR

Caso tenha alguma correção ou comentário a fazer:
 

Mais Notícias

Segue-nos

bla bla

911911978