Descarrilamento de Alfa Pendular em Soure

LUSA/PAULO CUNHA
 31 de julho de 2020

Um Alfa pendular descarrilou na zona de Soure, distriro de Coimbra, quando seguia no sentido Sul-Norte e depois de embater com uma máquina de trabalho.

Pelo menos duas pessoas morreram e sete pessoas ficaram feridas com gravidade. As autoridades dão também conta de 30 feridos ligeiros. Os feridos já foram retiradas da composição e transportados para o Hospital de Coimbra.

O presidente da Câmara de Soure, Mário Nunes, adiantou que os dois mortos "não são passageiros do Alfa". Estavam numa outra máquina a operar na linha.

O descarrilamento do comboio ocorreu após o embate entre o Alfa Pendular e uma máquina de trabalho. O alerta foi dado às 15h30.

A Linha do Norte está interrompida por tempo indeterminado.

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) vai investigar o descarrilamento.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já lamentou o "grave acidente" ferroviário e disse que aguardará "os resultados das investigações técnicas e judiciais".

"O Presidente da República lamenta o grave acidente ferroviário desta tarde na Linha do Norte, de cujos detalhes foi informado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos", lê-se numa nota divulgada no 'site' da Presidência.

Marcelo Rebelo de Sousa apresenta "sentidas condolências aos familiares e amigos das vítimas mortais" e deseja "rápidas melhoras aos numerosos feridos, aguardando os resultados das investigações técnicas e judiciais". 

O primeiro-ministro, António Costa, apresentou igualmente "as mais sentidas condolências às famílias e amigos" das vítimas do "trágico acidente" e disse estar a acompanhar a evolução da situação "em permanência".

"Apresento as mais sentidas condolências às famílias e amigos dos funcionários da IP vítimas do trágico acidente ferroviário que ocorreu hoje na linha do Norte, em Soure", distrito de Coimbra, escreveu o primeiro-ministro na sua conta oficial na rede social 'Twitter'.

Na nota, o primeiro-ministro ainda acrescenta que deseja "também rápidas melhoras aos feridos" e deixa "uma palavra de solidariedade para todos aqueles que trabalham nos equipamentos e infraestruturas ferroviárias e que prestam um serviço inestimável aos portugueses".

O ministro das Infraestruturas e da Habitação afirmou, no local do acidente, que é preciso aprender com o que aconteceu no acidente, entre uma máquina de trabalhos e um Alfa Pendular, para diminuir os riscos de acidentes ferroviários.

"Acreditamos na ferrovia. Eu não diria que a ferrovia passa a ser um meio de transporte inseguro, mas não impede que os acidentes possam acontecer como este aconteceu. Mas temos de aprender com o que aconteceu para diminuir mais os riscos de acidentes na ferrovia", disse Pedro Nuno Santos, que falava aos jornalistas em Soure.

O ministro salientou também que "não está em causa a segurança da operação ferroviária em Portugal", garantindo que "a ferrovia é um dos meios de transporte mais seguros".

(última atualização às 19h48)

 

AUTOR

Caso tenha alguma correção ou comentário a fazer:
 
Segue-nos

bla bla

911911978