Portugal volta ao confinamento. São estas as novas regras

 13 de janeiro de 2021

O Governo anunciou, esta quarta-feira à tarde, o regresso do país ao confinamento obrigatório, uma medida que surge perante o sucessivo aumento de casos de infeção e mortes causadas pela pandemia de covid-19. 

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou as novas regras que o país terá de cumprir já a partir de sexta-feira, 15 de janeiro, e durante pelo menos um mês, sendo que a situação será reavaliada após 15 dias, o que pode significar ou alívio ou aperto das medidas agora anunciadas. 

Este novo período de confinamento é anunciado no dia em que Portugal bateu um novo recorde de casos diários (10 556) e de mortes em 24 horas (156) desde o início da pandemia. 

ESCOLAS VÃO MANTER-SE ABERTAS EM TODOS OS NÍVEIS DE ENSINO E COM AULAS PRESENCIAIS:

"As regras que repomos são essencialmente as mesmas que vigoraram em março e abril, com uma exceção que se prende com o calendário democrático das eleições presidenciais do próximo dia 24 de janeiro e com a necessidade de não voltarmos a sacrificar a atual geração de estudantes. Por isso, iremos manter em pleno funcionamentos todos os estabelecimentos educativos, como têm estado a funcionar até agora", anunciou o primeiro-ministro. 

RECOLHIMENTO DOMICILIÁRIO OBRIGATÓRIO:

O Governo anunciou ainda que há o dever de recolhimento domiciliário a partir de sexta-feira, dia 15 janeiro, e esclareceu que as exceções (como ida às compras, ou à farmácia) serão praticamente as mesmas que estavam em vigor quando o país esteve em confinamento em março/abril. 

MULTAS MAIS PESADAS PARA QUEM NÃO CUMPRIR TELETRABALHO E USO DE MÁSCARA:

O teletrabalho é obrigatório para todas as atividades e funções que o permitam e as coimas vão ser mais pesadas, o dobro, para as empresas que desrespeitarem esta norma. 

Também são agravadas as multas para quem desrespeitar as regras sanitárias, como por exemplo, o uso de máscara na rua

As viagens entre o Continente e os arquipélagos da Madeira e Açores não estão impedidas e continuam a vigorar as mesmas regras que estão ativas neste momento. 

O primeiro-ministro foi questionado se haverá também reforço dos elementos das forças de segurança para fiscalizar as regras que entram em vigor na sexta-feira. António Costa acabou por não responder diretamente à questão, afirmando apenas que as "forças de segurança atuarão conforme as diligências necessárias", não avançando com qualquer reforço de meios para a fiscalização destas medidas. 

COMÉRCIO: 

O primeiro-ministro anunciou ainda que o comércio no geral vai encerrar portas e que apenas se mantêm abertos os estabelecimentos que vendem bens considerados essenciais, como supermercados, farmácias ou lojas de venda de comida para animais. 

CABELEIREIROS E GINÁSIOS ENCERRADOS. RESTAURAÇÃO E CAFÉS ABERTOS MAS COM EXCEÇÕES:

As atividades que vão ser obrigadas a encerrar devido a este novo período de confinamento vão ser abrangidas por um novo regime de lay-off.

Os cabeleireiros e ginásios já não vão poder abrir na sexta-feira, 15 de janeiro, tal como os estabelecimentos culturais. No caso dos cafés, bares e restaurantes, apenas podem manter-se abertos para entregas ao domicílio ou take-away (levantamento no local). 

E neste caso há regras decretadas hoje pelo governo para os serviços de entrega de refeições ao domicílio. As comissões cobradas aos restaurantes (pelas empresas/plataformas que prestam este serviço) estão limitadas a 20% e as próprias taxas de entrega não podem aumentar.

O mesmo acontece, por exemplo, no caso do gás engarrafado. O Governo anunciou que a venda de GLP está também sujeito a preços com um limite máximo. 

RESTRIÇÕES PARA A ÁREA DO DESPORTO:

Os ginásios, pavilhões e recintos desportivos são obrigados a encerrar e no caso dos jogos das seleções nacionais e da 1ª divisão vão poder continuar a realizar-se, mas sem público. 

Tal como aconteceu no primeiro confinamento geral, a prática de exercício físico individual não está proíbida. Na lista de medidas é permitido o "exercício individual ao ar livre".

MAIS MEDIDAS IMPORTANTES:

- Quem precisa de deslocar-se a um serviço público terá de fazer previamente marcação. 

- Estabelecimentos culturais encerrados. 

O QUE É PERMITIDO?

- Ir às compras ou à farmácia. 

- Ir trabalhar presencialmente se a função que exerce não for compatível com regime de teletrabalho. 

- Fazer exercício ao ar livre, individualmente. 

- Passear os animais domésticos. 

- São permitidos eventos relacionados com a campanha eleitoral para as presidenciais. 

- São permitidas celebrações religiosas.

 

 

 

 

Também hoje o parlamento deu luz verde à renovação do estado de emergência, ou seja, o que está atualmente em vigor termina já esta sexta-feira, 16 de janeiro, às 23h59, e será renovado por mais quinze dias, desde as 00h00 de sábado, 16 de janeiro, até às 23h59 do dia 30 deste mês.

 

AUTOR

Caso tenha alguma correção ou comentário a fazer:
 
Segue-nos

bla bla

911911978