Empresa de transformação de resíduos plásticos em biolíquido abre unidade em Portugal

Hans Braxmeier/Pixabay
 08 de setembro de 2021

A Câmara de Nelas, distrito de Viseu, anunciou hoje que será instalada no concelho uma empresa de transformação de resíduos plásticos em biolíquido, num investimento de 53 milhões de euros da espanhola Preco que permitirá a criação de cerca de 100 empregos.

“A instalação desta unidade é um momento assinalável para Portugal, que se converte assim num dos poucos países da Europa a implementar este processo de transformação do plástico, contribuindo para o cumprimento da exigente normativa europeia sobre a recuperação de resíduos”, explica uma nota de imprensa.

Segundo o documento enviada pela Câmara de Nelas, “o projeto implica um investimento de 53 milhões de euros e a criação de cerca de 100 postos de trabalho diretos e mais de 300 postos de trabalho indiretos”.

“A unidade estará localizada no Parque Industrial de Nelas e constitui um claro sinal da aposta da Câmara de Nelas na promoção de atividades industriais que respeitam o meio ambiente. Por ano, esta unidade de transformação processará 75 toneladas de plástico e resíduos sólidos urbanos e industriais”, indica a nota de imprensa.

Para a concretização desta unidade de transformação de resíduos plásticos em biolíquidos, o presidente da Câmara de Nelas, José Borges da Silva, assinou hoje um acordo de apoio, com o presidente da Preco, Juan Baena.

Depois de hoje, explica a nota, “a unidade da Preco Circular estará em pleno funcionamento num prazo de 24 meses” e o projeto “cumpre também com os requisitos para receber o apoio da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

A unidade da Preco Circular, que se encontra “em processo de avaliação para ser classificado como projeto de interesse nacional”, refere o documento, “transforma o plástico e os resíduos sólidos urbanos e industriais em biolíquido, utilizando a tecnologia Neoliquid® de pirólise, sobre uma base de resíduo zero”.

“Todo o processo se realiza em atmosfera sem oxigénio, pelo que não há combustão e não se produzem poluentes atmosféricos prejudiciais, como dioxinas ou furanos. O processo de transformação dos resíduos produz três produtos: biocarvão, gás de síntese e biolíquido renovável”, explica.

A empresa, que opera em Espanha, Itália e Portugal, refere ainda que estes produtos estão de acordo com a nova Diretiva Europeia de Energias Renováveis (RED II), “garantindo uma redução das emissões de gases de efeito de estufa, quando comparado com outros produtos equivalentes de origem fóssil, de até 94%”.

“A Preco é uma empresa do setor da economia circular que oferece uma solução integral a um dos maiores problemas de contaminação mundial: o plástico usado. (…) O biolíquido resultante usa-se para voltar a fabricar produtos de plástico ou como produto intermédio para a produção de combustíveis sustentáveis de acordo com a RED II”, refere.

 

AUTOR

Caso tenha alguma correção ou comentário a fazer:
 
Segue-nos

bla bla

911911978