Ouve a Cidade, faz o download da App.
Hans Braxmeier/Pixabay

Projeto piloto de depósito de embalagens entra em nova fase e atribui pontos

A nova fase do projeto vai até junho próximo e continua a envolver as 23 máquinas de recolha automática de embalagens de bebidas de plástico em vários locais do país.

O projeto piloto de um futuro sistema de depósito de embalagens vai a partir de agora atribuir pontos, que podem ser trocados por prémios, informaram hoje as entidades promotoras da iniciativa, que começou em março de 2020.

A nova fase do projeto vai até junho próximo e continua a envolver as 23 máquinas de recolha automática de embalagens de bebidas de plástico PET (polietileno) em vários locais do país, instaladas em grandes superfícies comerciais.

O projeto piloto “Quando o velho se faz novo. Todos ganham. Ganha o planeta” - a que se junta outro idêntico, mas só para Lisboa e com 10 máquinas, o “Bebidas+Circulares” - consistia até agora na entrega de talões de desconto em compras por depósito de embalagens, sendo que o valor do desconto também podia ser doado a instituições de solidariedade social.

Na nova fase do projeto, de sensibilização dos consumidores para a promoção da economia circular e da consciência ambiental, vai haver um sistema de pontos, com cada embalagem devolvida a valer um ponto, que podem depois ser trocados por prémios.

Segundo o comunicado, o talão emitido pelas máquinas tem um código que indica o número de pontos, que podem ser geridos pelos utilizadores numa plataforma online. Até ao fim do mês serão divulgados os catálogos dos prémios (nas páginas dos projetos).

Financiado pelo Governo, o projeto que está em diversos pontos do país é promovido por um consórcio formado pela Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), Associação Águas Minerais e de Nascente de Portugal (APIAM), e Associação Portuguesa das Bebidas Refrescantes Não Alcoólicas (PROBEB). A nova fase do projeto tem um orçamento de 475 mil euros.

Na primeira fase do projeto “Quando do velho de faz novo” (financiado a 100% pelo Fundo Ambiental) foram recolhidas nas 23 máquinas mais de 16,6 milhões de embalagens de plástico, permitindo a reciclagem de 472 toneladas de plástico PET.

No projeto só para Lisboa, “Bebidas+Circulares”, financiado essencialmente pelo Programa “Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono” e com as mesmas associações promotoras, em parceria com a autarquia, foram recolhidos mais de dois milhões de embalagens de plástico PET, latas de metal e garrafas de vidro, o equivalente a 150 toneladas de materiais encaminhados para reciclagem.

Nos dois casos o objetivo é motivar os consumidores a colocar as embalagens nas máquinas, e testar o sistema, sendo que no futuro deve ser instalado em todo o país.

O sistema de depósito generalizado irá contribuir para o cumprimento das metas de recolha seletiva impostas pela diretiva da União Europeia relativa aos plásticos de uso único. Os Estados-Membros terão de recolher seletivamente 77% das garrafas de bebidas até 2025 e incorporar 25% de plástico reciclado nas novas garrafas.

Um estudo sobre o modelo de depósito em Portugal apontou vários cenários, incluindo o depósito também, além do plástico, de embalagens de metal e vidro.

Redação / Agência Lusa